NEWS

Post Top Ad



17 de julho de 2023

HOSPITAL ITABUNENSE É PRIMEIRO DA BAHIA A IMPLANTAR MENOR MARCA-PASSO DO MUNDO

 


A implantação do menor marca-passo do mundo em uma paciente de 79 anos alçou o Calixto Midlej Filho, em Itabuna, ao seleto grupo de hospitais brasileiros que já fizeram o procedimento. Nas regiões Norte e Nordeste, foi o terceiro caso bem-sucedido e o primeiro da Bahia. O dispositivo pesa 2 gramas e é pouco maior que uma cápsula de remédio. A idosa recebeu o marca-passo na noite de quinta-feira (13) e recebeu alta no sábado (15).


O pequeno marca-passo não tem fios (eletrodos) e foi implantado pelo Serviço de Hemodinâmica do Calixto. O procedimento foi feito pela equipe comandada pelos médicos Gustavo Mendonça Duarte e Carlos Eduardo Duarte. No Brasil, a primeira implantação desse dispositivo foi feita em novembro de 2021. “No geral, o procedimento dura menos de uma hora e, 24h depois, o paciente recebe alta”, explica o cardiologista Gustavo Duarte.


A paciente que recebeu o Micra (nome comercial do dispositivo) teve um câncer na mama direita tratado com quimioterapia e radioterapia, além de um acesso do lado esquerdo (cateter), que, com o passar do tempo, causa a obstrução das veias do tórax, onde desce o fio do marca-passo convencional, conforme o médico Gustavo Duarte. “A paciente tinha um bloqueio atrioventricular, com histórico de desmaios. Isso precisava de uma resolução rápida”, afirma o profissional. 




OBSTRUÇÃO




O cardiologista relata que, como as veias do tórax estavam todas obstruídas, a opção foi usar as veias da região da virilha para chegar até o coração. Depois o dispositivo sem fios foi implantado no coração para a estimulação do órgão. “Com isso, resolvemos um problema cardíaco sério que ela enfrentava”. Como o procedimento é menos invasivo e o marca-passo não tem fios, o risco de infecção é menor.



Referência no Brasil e cardiologista no Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, o médico Carlos Eduardo atuou em 34 dos 36 procedimentos feitos no país. Especialista em eletrofisiologia cardíaca, ele afirma que só havia duas opções: a implantação desse dispositivo ou toracotomia, que é uma cirurgia aberta, com cabos por fora. “Evitamos esse tipo de cirurgia, que é de grande porte e com maior risco para essa paciente”, explica.


INDICAÇÃO





O menor marca-passo do mundo é indicado para pacientes com estado de saúde considerado crítico, principalmente, com câncer e doenças renais e que, por algum motivo, têm dificuldade de acesso ao marca-passo convencional. O chamado marca-passo tradicional pesa, em média, de 20 a 30 gramas, enquanto o Micra pesa somente 2 gramas.


Composto por bateria e eletrodos, conectados ao equipamento por fios finos e maleáveis, o marca-passo convencional é implantado em vasos sanguíneos do corpo de grande calibre para levar os eletrodos até o coração. A bateria e o aparelho ficam instalados entre o músculo do peitoral e a pele do paciente.


Já o menor marca-passo do mundo é implantado diretamente no coração para correção de batimento e fica preso por quatro pequenas garras que possui. O Micra é produzido pela empresa Medtronic. O procedimento foi coberto por um plano de saúde. Como é muito caro, o serviço ainda não foi disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad