NEWS

Post Top Ad

8 de abril de 2022

Laudo confirma que radialista morto no sul da Bahia foi vítima de asfixia por estrangulamento

 

A perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT) concluiu que o radialista Jota Silva, morto dentro da casa onde morava em Itabuna, no sul da Bahia, foi vítima de asfixia por estrangulamento. A polícia investiga a suspeita de latrocínio, roubo seguido de morte, já que pertences do comunicador foram levados do imóvel, após o crime.


Imagens feitas por câmeras de segurança são analisadas para auxiliar na identificação do suspeito. Nas imagens, é possível ver o momento em que Jota Silva e o suposto autor do crime chegam ao imóvel, por volta das 17h de terça-feira (5).


O homem sai da garagem por volta das 21h com o veículo da vítima, mas não consegue fugir. Em seguida, ele abandona o carro e deixa o local a pé.

Vizinhos perceberam a movimentação suspeita na casa do radialista e acionaram a Polícia Militar. Quando os policiais chegaram na residência, encontraram Jota Silva morto, sem roupa com as marcas do estrangulamento.


O veículo do radialista foi levado para o Complexo de Itabuna onde também passou pelo exame de perícia. Dentro do carro havia objetos como roupas, caixas de som e materiais de limpeza. A Polícia Civil ouviu algumas testemunhas e segue colhendo depoimentos para tentar encontrar o autor do crime.


“A gente sabe apenas que se trata de um rapaz. As equipes estão na rua em busca de outras informações, de outras testemunhas que possam ter visto a rota de fuga dessa pessoa. Só então que a gente pode apresentar o nome do suspeito”, afirmou, na quarta-feira, a delegada Magda Figueiredo, responsável pelas investigações.


O prefeito de Itabuna, Augusto Castro, divulgou uma moção de pesar lamentando a morte Jota Silva, que atuava na Rádio Jornal de Itabuna.

A emissora de rádio também lamentou a perda do profissional de comunicação que comandava o programa Show do Jota Silva todas as manhãs há mais de uma década.




"Programa alegre, para frente, animado, que não deixava ninguém parado. Eu deixava o rádio ali na mesinha, que eu comprei só para ver o programa de Jota”, disse José Santos, um dos ouvintes assíduos do programa.


O corpo do radialista Jota Silva foi enterrado na quarta-feira (6), no cemitério Campo Santo, em Itabuna. A cerimônia reuniu familiares, amigos e empresários da região.

O radialista era muito conhecido na comunidade pelos anos de transmissão dos principais eventos de Itabuna. Moradores do bairro Manuel Leão, onde ele morava, ficaram abalados com a morte brutal do radialista.

“Muito abalada. Aquela voz dele, a amizade com todo mundo, ele não merecia isso”, disse a aposentada Áurea Novaes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad