08 de outubro de 2018

Brasil – Anvisa autoriza registro de teste que detecta zika em até 20 minutos

O jornal O Globo divulgou que o
fabricante, a empresa canadense Biocan Diagnostics Inc, explicou que o
resultado pode ser conhecido entre 15 e 20 minutos depois da aplicação
do teste. É o quarto produto a obter registro da Anvisa para detectar a
presença do vírus. A medida foi publicada na edição desta segunda-feira
(15) do Diário Oficial da União. Segundo a publicação, o teste não
detecta o vírus diretamente, mas os anticorpos IgC e IgM em amostras de
sangue. Esses anticorpos permitem saber se a pessoa foi infectada, mesmo
após o vírus já ter sido eliminado do corpo. Dos outros três testes
para zika que já tinham obtido registro, dois também permitiam
identificar se a pessoa contraiu zika após a eliminação do vírus. A
Anvisa informou ainda que “o produto fabricado pela empresa canadense
Biocan Diagnostics INC. utiliza como suporte uma membrana de
nitrocelulose em que os anticorpos são capturados e revelados por meio
de uma reação que promove a formação de uma banda em cor vermelha para
cada um dos anticorpos presente”. Até agora o diagnóstico de zika é
realizado principalmente pelo PCR, teste que identifica o código
genético do vírus. Porém, o exame apenas aponta a infecção durante o
período de manifestação dos sintomas, o que dura entre 2 e 7 dias. A
Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul manteve a suspensão do uso do
larvicida pyriproxyfen em água para consumo humano. O Globo recorda que a
medida foi tomada no sábado após circularem notícias associando o
produto, utilizado no combate a larvas do Aedes aegypti, à microcefalia.
No entanto, o Ministério da Saúde e o laboratório Sumitomo Chemical,
fabricante do larvicida, argumentam que não há comprovação científica da
ligação entre o produto e a microcefalia. Nesta segunda, houve uma
reunião de uma hora com a participação de vários órgãos do governo
gaúcho para deliberar se a suspensão seria mantida ou revogada.

Posts Relacionados